Trump International NY



Trump International NY

A cidade que nunca dorme está comemorando o vigésimo aniversário de um marco icônico, com cinco estrelas e cinco diamantes, que tem também um restaurante três-estrelas Michelin do chef Jean-Georges, que neste primeiro semestre veio a São Paulo inaugurar o seu 35º restaurante, dentro do luxuoso hotel Palácio Tangará. Precisa mais segredos para sustentar a experiência de vencedor tanto tempo depois de sua inauguração?

A localização é singular: junto a Columbus Circle, com fácil acesso ao metrô, a Quinta Avenida ou a Times Square

Suas suítes espaçosas possuem cozinhas totalmente equipadas e janelas que vão do chão ao teto, projetadas para enquadrar com perfeição as inigualáveis vistas do Central Park. E não usamos o termo “perfeição” sem motivo.

Cozinha no quarto simboliza outro diferencial

Uma reforma de 30 milhões de dólares, finalizada em setembro de 2010, trouxe assentos elegantes, ricos acabamentos em madeira e candelabros de cristal Schonbek feitos à mão. Spa, academia e piscina aquecida, internet gratuita e com boa velocidade, também são distinções. Porém, há duas que fazem muita diferença: a localização singular, junto a Columbus Circle, com acesso a metrô, a Quinta Avenida ou a Times Square a poucos passos. Basta sair do hotel para estar numa loja maravilhosa da Whole Foods, mega supermercado com comidas prontas ou variados produtos para você mesmo preparar uma refeição no quarto do hotel, já que sua cozinha permite. Além de um staff competente e gentil, água e chocolates no serviço noturno fazem sim você se sentir bem-vindo.

O hotel integra o Central Park, a poucos passos ou com vistas indescritíveis

O primeiro grande projeto de Trump foi o Hotel Commodore. Ele se associou com o grupo hoteleiro Hyatt para comprá-lo em 1976 por um preço não revelado, rebatizando-o de Grand Hyatt.

Naquela época, Nova York não era considerada um destino do turismo de luxo. O investimento foi de grande risco para o jovem empresário.

Usando sua capacidade de negociação, Trump persuadiu a administração da cidade a conceder ao hotel uma redução de impostos por 40 anos, gerando uma economia de US$ 160 milhões. Em 1996, ele vendeu sua metade do hotel Hyatt por US$ 142 milhões.

Publicado na edição 35 da revista Gente que Faz

Por Neiva Schneider

Fotos Divulgação

 

Tags relacionadas

Comente



Compartilhe!




POSTS RECENTES

Image

A essência do técnico Tite na arquitetura

Monica Smaniotto Pretto e Débora Smaniotto revelam, pelos traços da arquitetura, a essência de uma das grandes personalidades do futebol mundial   No bate-papo com o zelador de um prédio em Torres (RS), no qual executavam dois projetos, as arquitetas Monica Smaniotto Pretto e Débora Smaniotto descobriram que os proprietários da cobertura estavam à procura […]

LEIA MAIS
Image

O que dizem os astros para 2018

Uma das astrológas mais conhecidas do mundo, dos famosos e globe trotter assumida, MARICY VOGEL, fala de 2018 para Gente que Faz, um pouco depois de dar entrevista para Amaury Júnior A brasileira que reside na Flórida hoje, há 27 anos fora do Brasil, anda o mundo atendendo clientes famosos e poderosos que se casam, […]

LEIA MAIS
Image

Com axé da Bahia, Nalanda faz sucesso em solo gaúcho

            Ela veio para fazer história em Porto Alegre. Desde 2010 em terras gaúchas, a artista se diz realizada com a carreira que construiu no estado              Uma nova voz vem chamando a atenção dos gaúchos que frequentam a noite de Porto Alegre. Muito mais do que isso, ela tem se destacado pela autenticidade, carisma […]

LEIA MAIS