Setembro é o mês das Ostras no Ponta dos Ganchos

Além do menu, outro destaque deste ano é o workshop sobre a história da produção dessa iguaria em Santa Catarina

Para celebrar o período do ano de maior produção de ostras em Santa Catarina, o Ponta dos Ganchos Exclusive Resort apresenta mais uma vez uma experiência gastronômica especial durante o mês de setembro. Sob o comando do chef executivo José Nero, o hotel promete surpreender seus hóspedes com um menu de quatro entradas, quatro pratos principais e três sobremesas que valorizam a ostra como ingrediente principal.

Entre as criações desta edição está o ceviche de ostras baby com tucupi e pimenta dedo-de-moça, receita que encantou no ano passado, e novidades como o blanquette de ostras com leite de coco, capim santo, cogumelo paris e purê de cará – esta, dedicado ao francês Laurent Suaudeau, um dos ícones da gastronomia franco-brasileira, com quem Nero já trabalhou no resort quando Suaudeau foi chef consultor. “Ele foi o grande responsável por transformar a nossa culinária nos anos 1980, ao introduzir ingredientes brasileiros às tradicionais técnicas francesas”, elogia Nero. O menu com pratos elaborados com a iguaria é complementar ao à la parte do restaurante, que segue como sugestão durante a hospedagem.

E para os hóspedes que se interessarem e quiserem saber mais sobre o cultivo das ostras no estado de Santa Catarina, reconhecido como o maior fornecedor do molusco no Brasil, com 95% da produção nacional, o hotel organizou um workshop sobre o tema com o chef Nero e Vanessa Nascimento, uma expert na área e engenheira de aquicultura pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). “Queremos contar um pouco sobre como o estado começou a se destacar na produção sustentável da ostra, quais são os tipos encontradas por aqui e porque elas se adaptaram tão bem”, entrega.

Sabe-se que o clima e as águas do litoral catarinense, mais frias e ricas em microalgas, são alguns dos motivos para o sucesso do cultivo da Crassostrea gigas, ostra de origem japonesa e a mais consumida no Brasil. “Mas também queremos falar sobre a ostra nativa da região, que já faz parte do nosso menu. Menor, com sabor mais suave e adocicado, chamo ela de ostra baby”, diz o chef.

Para quem se interessar no bate-papo, não vão faltar curiosidades, como quando Nero decidiu unir capim santo, açúcar e ostra e criar um sorbet. Ou quando o chef surpreendeu os amigos com um brigadeiro de ostra. Tudo, claro, com direito a degustação.



Tags relacionadas

Comente



Compartilhe!







POSTS RECENTES

Image

Peru de indulgências

Há viagens que,  com as experiências que nos possibilitam, carregam promessas de que ao retornarmos de longe, nos entregarão almas abertas e corações que cantam. Quer saber como foi comigo? Antes preciso dizer que foi minha primeira vez no Peru. E já entendi muito bem a máxima do fotógrafo internacional Mário Testino, quando afirmou que […]

LEIA MAIS
Image

5 países abertos para brasileiros que valem a visita

Com o avanço da vacinação e a evidente diminuição do número de casos no Brasil, aos poucos os países estão reabrindo suas fronteiras aos turistas brasileiros. As boas notícias contribuem não apenas para fortalecer o setor de turismo, um dos mais afetados durante a pandemia da Covid-19, mas também para dar mais confiança a quem […]

LEIA MAIS
Image

Visual bombado, arrojada e vestida para festa

Por Matheus Sartor, editor de carros para Gente que Faz Tivemos a oportunidade de experimentar a principal novidade deste primeiro semestre da Ford, a Ranger Black, trafegando com estilo, desempenho, equipamentos, tecnologia e conectividade nos principais cenários do sul do país. Sem contar que literalmente a meteorologia nos possibilitou estradas com todos os climas e […]

LEIA MAIS