Gincana premia escolas públicas através do Prêmio Nestlé

Em comemoração aos 100 anos no Brasil, Nestlé lança gincana para transformar as escolas públicas em ambientes mais saudáveis

Companhia transformou a quarta edição do Prêmio Nestlé por Crianças mais Saudáveis em uma plataforma de engajamento, com propostas de atividades em formato gincana, que podem ser integradas ao plano de aulas e realizadas à distância

A Nestlé lançou a quarta edição do seu Prêmio Nestlé por Crianças Mais Saudáveis, iniciativa que contempla a seleção de 10 escolas públicas do país para receberem apoio pedagógico e financeiro de

R$ 35 mil cada um, a serem investidos em iniciativas para promover hábitos mais saudáveis para as crianças. Ao longo dos três anos em que foi realizado, o prêmio já transformou a vida de mais de 12.500 crianças de 30 escolas de todas as regiões do Brasil. Diante do atual cenário, com muitas escolas fechadas pela pandemia, a companhia transformou a iniciativa em uma grande plataforma online de apoio para os educadores. Neste ano, a participação se dará em um formato de gincana, com missões propostas para que cada professor possa realizar junto com os alunos, mesmo no cenário de aulas à distância, abordando temas que fazem uma relação entre hábitos mais saudáveis, alimentação e conteúdos pedagógicos.

As missões e o material pedagógico trazem atividades lúdicas para desenvolver habilidades referentes às áreas de Ciências da Natureza, Língua Portuguesa e Matemática da Base Nacional Comum Curricular (BNCC) e foram cocriados com o Instituto Crescer, especializado no desenvolvimento de projetos educacionais. O objetivo é apoiar os professores com conteúdos que podem inclusive ser adaptados e inseridos no plano de aulas, para ajudar na promoção do engajamento dos alunos. O formato é uma resposta ao atual cenário, já que, segundo dados de uma pesquisa do C.Lab (laboratório interno de pesquisas da Nestlé) com pais brasileiros, realizada em setembro de 2020, 55% dos participantes acreditam que a pandemia limitou as experiências dos filhos e 64% declaram que essa limitação do aprendizado escolar é o que mais preocupa. Além disso, para 74% o aprendizado escolar foi a maior vivência perdida e 51% dos filhos não se adaptaram ao ensino online.

Além disso, a iniciativa ajuda a promover conscientização e a adoção de uma alimentação equilibrada e da prática de atividades físicas, pilares essenciais para ajudar na promoção da saúde, permitindo ainda a participação direta de um público ampliado de estudantes. “O prêmio segue com sua missão de ajudar educadores das escolas da rede pública brasileira a se tornarem agentes transformadores em cada instituição em que atuam. Com esse novo formato, queremos promover engajamento e impacto direto para um número muito maior de crianças, conversando diretamente com elas por meio de atividades divertidas e, ao mesmo tempo, educativas. A nossa expectativa é de impactar e levar hábitos mais saudáveis para cerca de 30 mil alunos neste formato”, comenta Juliana Oliveira, responsável pelo Prêmio Nestlé por Crianças mais Saudáveis.

“Para nós é uma satisfação contribuir com estratégias de ensino que colocam os estudantes no centro do processo e como protagonistas na solução de problemas do mundo real. Essa divisão de responsabilidades é fundamental para motivar os estudantes e para que, juntos, possam desenhar novos processos, novas metodologias, novos caminhos para aprender de forma divertida, interativa e colaborativa”, afirma a Dra. Luciana Allan, diretora do Instituto Crescer.

Dinâmica

As inscrições e missões podem ser realizadas pelas escolas públicas de todo o país até 4 de julho, por meio da plataformawww.escolasmaissaudaveis.com.br. As missões são relacionadas aos cinco comportamentos saudáveis promovidos pela iniciativa Nestlé por Crianças mais Saudáveis: Alimentação Nutritiva e Variada; Brinque Ativamente; Beba Mais Água; Curta as Refeições Juntos e Porcione para Comer Melhor.

Cada escola pode realizar com os alunos quantas missões quiser e quanto mais missões, mais pontos a instituição ganha na gincana. Para comprovar as missões, os educadores devem enviar evidência da realização das ações propostas, por meio de fotos, vídeos, conteúdos escritos, entre outros. Ao final, a escola tem que submeter a sua proposta de um projeto pedagógico, respondendo algumas perguntas sobre “O que você faria na sua escola se ganhasse o prêmio?”. As 10 escolas com maior pontuação e melhores projetos serão contempladas com R﹩ 35 mil reais cada, em benfeitorias a serem realizadas na instituição, mentorias pedagógicas por cinco meses, além do acompanhamento da implementação do projeto.



Tags relacionadas

Comente



Compartilhe!







POSTS RECENTES

Image

5 países abertos para brasileiros que valem a visita

Com o avanço da vacinação e a evidente diminuição do número de casos no Brasil, aos poucos os países estão reabrindo suas fronteiras aos turistas brasileiros. As boas notícias contribuem não apenas para fortalecer o setor de turismo, um dos mais afetados durante a pandemia da Covid-19, mas também para dar mais confiança a quem […]

LEIA MAIS
Image

Visual bombado, arrojada e vestida para festa

Por Matheus Sartor, editor de carros para Gente que Faz Tivemos a oportunidade de experimentar a principal novidade deste primeiro semestre da Ford, a Ranger Black, trafegando com estilo, desempenho, equipamentos, tecnologia e conectividade nos principais cenários do sul do país. Sem contar que literalmente a meteorologia nos possibilitou estradas com todos os climas e […]

LEIA MAIS
Image

Omega Construtora estreia em alta no litoral

Sucesso total de pré-vendas, em apenas 20 minutos foram reservados os 363 terrenos e 370 pessoas ficaram na fila de espera para compra O mercado imobiliário no Litoral Norte gaúcho segue aquecido, desde 2020, sendo uma das regiões do RS mais procuradas por quem quer investir em terrenos ou mesmo em imóveis prontos. De acordo […]

LEIA MAIS