Fernanda Semler, embaixadora do pós-luxo

Fernanda Semler é uma empresária moderna e inusual. Começou na moda com o próprio Gianni Versace em seus tempos áureos e passou quase uma década na Europa e EUA em entidades com a Fashion TV. Voltou ao Brasil e ficou à frente de eventos de grande porte ou à testa de acontecimentos sofisticados para empresas. Num destes eventos, em Campos do Jordão, região onde ela e família têm larga história – seu bisavô ajudou a trazer a estrada de ferro para lá nos anos 20 – travou contato com a ideia, ainda no papel, do Botanique, hotel que assumiria, tanto na longa fase de construção e complexa curadoria – quanto na gestão

 

Ao Botanique ela trouxe não só a expertise de mudar o que havia sido pensado, mas também de como desenhar, conceituar algo completamente novo e executar o sonho de criar o melhor hotel do país. De roldão, criou um conceito novo: Après Luxe, ou resumindo, o conceito Pós-Luxo.

Après-Luxe não é über, não é acima, mas vem depois do luxo. Assim que as pessoas de posses vão descobrindo que uma grife, um esbanjo e um carimbo de opulência não satisfazem tanto quanto se achava, chega-se no mundo e universo que ela pretende abrir e descortinar, em forma de curadoria, para esses novos consumidores. Um mundo onde cada luxo tem uma razão de ser, é atemporal, inovador, tem uma interação verdadeira com sustentabilidade e preocupação social e, especialmente, dentro de um valor de venda – qualquer que seja – que seja claramente justificado.

Fernanda pretende declarar o fim, para efeitos destas pessoas que habitarão o mundo Après-Luxe, de marcas que só servem para impressionar, e que usam mão de obra barata na Ásia para entregar um produto que foi multiplicado por oito (média do ramo) e muitas vezes só serve de ostentação. Entram em cena produtos e serviços que têm razão real de ser – mesmo que no mundo do luxo.

Fernanda é curadora-mor do Après-Luxe, e pretende agregar algo a quem já tem quase tudo: um jeito de ver a vida, produtos e serviços, procurando sentido, o que é real.

Fernanda hoje vive São Paulo, e divide seu tempo entre Botanique, Après-Luxe, as escolas Lumiar que criou, marido e uma penca de filhos. De lá, espera mudar o sentido do luxo, para algo que inclua tudo que ela considera precioso. É a isto que ela se dedica.

LEIA MAIS:

http://gentequefaz.com/um-destino-para-quem-busca-o-pos-luxo/

Après Luxe em cinco lições

Para receber o selo Après Luxe, é preciso ser aprovado em cinco critérios criados por Fernanda Semler. São eles:

1
Qualidade da matéria-prima, atestada por pesquisa ou por rankings, selos e prêmios relevantes internacionalmente

Exemplo: os raros vinhos de Madame Lalou-Bize Leroy, que rejeitou viver da fama de herdeira do Romanee-Conti para dedicar-se à produção de vinhos biodinâmicos, hoje aclamadíssimos e que levam seu nome, os rótulos Domaine Leroy, de pequena produção mas altíssima e estratosférica reputação.

2
Atemporalidade, ou seja, ser um ícone que ultrapassa os limites do tempo

Exemplo: a máquina fotográfica Hasselblad é lenda até hoje, reverenciada por amantes da fotografia e também reconhecida pela lendária parceria com a NASA.

3
Originalidade e inovação

Exemplo: Sergio Rodrigues transformou a linguagem do móvel pensando o Brasil pelo viés do design, empregando madeiras nativas e tornando nosso país conhecido internacionalmente. Sua Poltrona Mole, entre outras tantas criações que levam seu nome, é uma ode ao bom gosto, à originalidade e inovação.

4
Autenticidade local ou propósito maior, o que significa sobressair por mostrar a realidade como ela é, revelando um caráter transformador

Exemplo: As obras do fotógrafo Sebastião Salgado são admiradas internacionalmente, se sobressaem das demais pela forma de mostrar o mundo da maioria, a vida, a realidade como ela é, sem disfarces.

5
Valor justo e mark-up coerente com o produto oferecido, para que valha cada centavo, aliados à responsabilidade socioambiental

Exemplo: Um jantar no restaurantL’Arpege, de Alain Passard, não é barato, ao contrário, mas vale cada centavo que custa. Três estrelas no Michelin não são suficientes para classificar a sublime cozinha que pratica, com exuberância de aromas, chamas, cores e sabores de um gênio das caçarolas, um mestre com os vegetais, capaz de transformá-los em iguarias de textura e sabor únicos.

https://www.apresluxe.com.br

LEIA MAIS:

http://gentequefaz.com/o-luxo-com-razao-de-ser/

Conteúdo publicado na edição 43 da revista Gente que Faz  | Fotos Divulgação | Por Neiva Schneider

 

 

 



Tags relacionadas

Comente



Compartilhe!







POSTS RECENTES

Image

Fundação Iberê realiza o primeiro leilão virtual

Vamos falar de arte e de paixão? Sim, porque para o Iberê Camargo, a arte sempre foi uma obsessão e tudo que fez, sempre foi com paixão. Pois nos dias 9 e 10 de setembro, a Fundação Iberê promove um leilão virtual de arte com obras de mais de cem artistas, o primeiro grande evento […]

LEIA MAIS
Image

Feliz com a vida no mar

Cadu Mayresse é arquiteto protagonista de arquitetura contemporânea de impacto. Ele assina o projeto da Casa do Mar, que apresentamos na edição 47 da revista Gente que Faz. Vem com a gente… Ela sempre teve predileção pelo verde e pelo turquesa.  Do mar é cativa, com sua família, quando o relógio marca o tempo de […]

LEIA MAIS
Image

O paraíso Ponta dos Ganchos reabre

Com a exclusividade de sempre e a segurança que o momento pede, o resort Ponta dos Ganchos retoma as atividades Neste contexto de muito resguardo e cautela, o Ponta dos Ganchos Exclusive Resort convida para um respiro em meio à natureza, um momento de reconexão nas belas paisagens da Baía de Ganchos, em Santa Catarina. […]

LEIA MAIS