A salvação do sabor



O cada vez mais competitivo mercado de cervejas artesanais ganha uma nova marca gaúcha. A Salva chega com a proposta de resgatar o sabor da cerveja tradicional, com qualidade e atenção aos processos de produção. A novidade tem inspiração alemã e produção gaúcha, com a assinatura de apaixonados por cerveja

001

O universo da cervejaria artesanal se propagou nos últimos anos, transformando uma das bebidas mais populares entre os brasileiros em iguaria. A produção caseira expandiu e muitos que começaram de forma descontraída profissionalizaram o processo. Foi o caso de João Giovanella, com sua Salva Craft Beer, que já vem deixando sua marca no mercado gaúcho.

Tudo começou com uma viagem à Alemanha, onde teve a oportunidade de experimentar uma variedade de cervejas locais. Percebeu que, ao contrário das cervejas comerciais disponíveis no Brasil, aquelas não lhe fizeram sentir-se mal. Descobriu que seu problema era com o milho usado na bebida nacional e que a receita artesanal, com puro malte, e sem a utilização de aditivos ou enzimas, não causava o mesmo efeito.

2015 03 03_Salva_0167-EditDesde então, tornou-se um apaixonado por cervejas e iniciou a produção própria. O hobbie ficou cada vez mais sério, até que decidiu comprar uma pequena cervejaria e transformar diversão em negócio. Percebeu que precisava de mais. Foi então que surgiu a Salva, com uma proposta de comercializar cerveja de qualidade, sem deixar de lado o maior segredo das marcas mais bem sucedidas no mercado: o padrão de qualidade em cada garrafa.

O nome já diz tudo. Salva foi escolhido por representar a salvação da cerveja. Giovanella conta que é um resgate dos tempos antigos, quando cada comunidade tinha uma cervejaria local, que produzia para o consumo em bares e festas. O sabor era a prioridade, a mesma da cervejaria contemporânea. Em pouco tempo, com parcerias bem planejadas, o negócio tomou corpo e a nova marca já é reconhecida.

Atualmente a marca conta com uma cerveja para cada dia da semana. Segunda-feira tem a Classic American Lager, terça a Stout, o meio da semana, quarta-feira, ganha a força da Indian Pale Ale. Para abrir os trabalhos do fim de semana, a sexta recebe a American Pale Ale, o sábado a Belgian Strong Ale e coroando o domingo, vem a Weiss. Apenas a quinta-feira fica de fora, pois para ela, são reservadas versões especiais, desenvolvidas pela equipe da cervejaria.

A Expovale de Lajeado foi o “batismo” da Salva. Foi o primeiro contato da marca com um público maior que o de lojas especializadas em bebida e de restaurantes parceiros. Mesmo sabendo que muitos não seriam familiarizados com o sabor da cerveja artesanal, Giovanella arriscou. O medo e a ansiedade do primeiro dia foram substituídos pela euforia de ver o grande público empolgado com a novidade e, em muitos casos, trocando a versão comercial de grandes marcas nacionais pela novidade produzida na região.

salva_craft_beer_revista_lamina_dA fábrica da Salva fica em Bom Retiro do Sul, no sentido interior capital, com uma área de 2 mil m² construídos e possibilidade de expansão de um hectare. A produção até 2017 promete dobrar. E não para por aí.

Um espaço localizado dentro da fábrica promete servir como um recinto para os apaixonados por cerveja e uma escola para quem deseja aprender mais sobre o extenso universo da bebida. Todos os sábados, o público poderá conhecer toda a linha da marca, além de dispor de loja de souvenirs, food trucks e até mesmo shows de bandas convidadas. Provando que a cerveja vai muito além daquele copo refrescante, promete aos poucos apresentar aos clientes o pão produzido com a cevada da produção, chocolate aromatizado com a bebida e um sorvete Salva.

IMG_9004Giovanella conta que todos estão empolgados para o projeto tornar-se realidade. Será a oportunidade ideal para bater papo com os consumidores e conscientizar cada vez mais pessoas sobre o consumo da cerveja de qualidade com conversas descontraídas. A ideia é expandir a interação com o público e em 2017 promete abrir visitas para os interessados conhecerem a fábrica, aprenderem sobre o processo de produção e até mesmo prepararem a própria cerveja.

Com segurança de que desenvolvem um produto que preza cada vez mais pela qualidade e padrão, a equipe pretende ampliar a linha de cervejas e a produção em 2017. Tudo com muito planejamento e olhos voltados para um futuro com o sabor da cerveja à salvo.

Publicado na edição 32 da revista Gente que Faz

Tags relacionadas

Comente



Compartilhe!




POSTS RECENTES

Image

Um japa pequeno, mas muitíssimo bem falado

  Reformulação do cardápio e da carta de vinhos celebra os cinco anos da casa que se tornou referência em culinária japonesa no Estado Há cinco anos, os empreendedores Roberto Leciel Breunig e Julian Barth colocaram Lajeado no circuito dos melhores restaurantes de culinária japonesa do Estado.  A inauguração do Minato Mirai, que tanto agradou […]

LEIA MAIS
Image

Le Reserve Paris, absolutamente nobre

Um convite para o La Reserve Paris é sempre singular. Com sua elegância discreta, é o enredo de uma história única, inesquecível A poucos passos da Champs Elysées, com vista para Le Grand Palais, Torre Eiffel, Panthéon e o Obelisco de la Concorde, o La Reserve ocupa a antiga residência do estilista Pierre Cardin, no […]

LEIA MAIS
Image

Encantamento de estrela

Especialista em reabilitação oral e estética, Gustavo Caetano explica como se dá a arte de moldar um sorriso de cinema de forma cada vez mais rápida e precisa Juliana Paes tem o sorriso mais pedido dos últimos meses no consultório do Dr. Gustavo Caetano, em Porto Alegre. Especialista em reabilitação oral e estética, o odontologista […]

LEIA MAIS