Image

A salvação do sabor

O cada vez mais competitivo mercado de cervejas artesanais ganha uma nova marca gaúcha. A Salva chega com a proposta de resgatar o sabor da cerveja tradicional, com qualidade e atenção aos processos de produção. A novidade tem inspiração alemã e produção gaúcha, com a assinatura de apaixonados por cerveja

001

O universo da cervejaria artesanal se propagou nos últimos anos, transformando uma das bebidas mais populares entre os brasileiros em iguaria. A produção caseira expandiu e muitos que começaram de forma descontraída profissionalizaram o processo. Foi o caso de João Giovanella, com sua Salva Craft Beer, que já vem deixando sua marca no mercado gaúcho.

Tudo começou com uma viagem à Alemanha, onde teve a oportunidade de experimentar uma variedade de cervejas locais. Percebeu que, ao contrário das cervejas comerciais disponíveis no Brasil, aquelas não lhe fizeram sentir-se mal. Descobriu que seu problema era com o milho usado na bebida nacional e que a receita artesanal, com puro malte, e sem a utilização de aditivos ou enzimas, não causava o mesmo efeito.

2015 03 03_Salva_0167-EditDesde então, tornou-se um apaixonado por cervejas e iniciou a produção própria. O hobbie ficou cada vez mais sério, até que decidiu comprar uma pequena cervejaria e transformar diversão em negócio. Percebeu que precisava de mais. Foi então que surgiu a Salva, com uma proposta de comercializar cerveja de qualidade, sem deixar de lado o maior segredo das marcas mais bem sucedidas no mercado: o padrão de qualidade em cada garrafa.

O nome já diz tudo. Salva foi escolhido por representar a salvação da cerveja. Giovanella conta que é um resgate dos tempos antigos, quando cada comunidade tinha uma cervejaria local, que produzia para o consumo em bares e festas. O sabor era a prioridade, a mesma da cervejaria contemporânea. Em pouco tempo, com parcerias bem planejadas, o negócio tomou corpo e a nova marca já é reconhecida.

Atualmente a marca conta com uma cerveja para cada dia da semana. Segunda-feira tem a Classic American Lager, terça a Stout, o meio da semana, quarta-feira, ganha a força da Indian Pale Ale. Para abrir os trabalhos do fim de semana, a sexta recebe a American Pale Ale, o sábado a Belgian Strong Ale e coroando o domingo, vem a Weiss. Apenas a quinta-feira fica de fora, pois para ela, são reservadas versões especiais, desenvolvidas pela equipe da cervejaria.

A Expovale de Lajeado foi o “batismo” da Salva. Foi o primeiro contato da marca com um público maior que o de lojas especializadas em bebida e de restaurantes parceiros. Mesmo sabendo que muitos não seriam familiarizados com o sabor da cerveja artesanal, Giovanella arriscou. O medo e a ansiedade do primeiro dia foram substituídos pela euforia de ver o grande público empolgado com a novidade e, em muitos casos, trocando a versão comercial de grandes marcas nacionais pela novidade produzida na região.

salva_craft_beer_revista_lamina_dA fábrica da Salva fica em Bom Retiro do Sul, no sentido interior capital, com uma área de 2 mil m² construídos e possibilidade de expansão de um hectare. A produção até 2017 promete dobrar. E não para por aí.

Um espaço localizado dentro da fábrica promete servir como um recinto para os apaixonados por cerveja e uma escola para quem deseja aprender mais sobre o extenso universo da bebida. Todos os sábados, o público poderá conhecer toda a linha da marca, além de dispor de loja de souvenirs, food trucks e até mesmo shows de bandas convidadas. Provando que a cerveja vai muito além daquele copo refrescante, promete aos poucos apresentar aos clientes o pão produzido com a cevada da produção, chocolate aromatizado com a bebida e um sorvete Salva.

IMG_9004Giovanella conta que todos estão empolgados para o projeto tornar-se realidade. Será a oportunidade ideal para bater papo com os consumidores e conscientizar cada vez mais pessoas sobre o consumo da cerveja de qualidade com conversas descontraídas. A ideia é expandir a interação com o público e em 2017 promete abrir visitas para os interessados conhecerem a fábrica, aprenderem sobre o processo de produção e até mesmo prepararem a própria cerveja.

Com segurança de que desenvolvem um produto que preza cada vez mais pela qualidade e padrão, a equipe pretende ampliar a linha de cervejas e a produção em 2017. Tudo com muito planejamento e olhos voltados para um futuro com o sabor da cerveja à salvo.

Publicado na edição 32 da revista Gente que Faz



Comente



Compartilhe!




POSTS RECENTES

Image

Asiate NY, à altura de sua gastronomia

Mesmo que não estivesse no 35º andar do hotel Mandarin Oriental, o Asiate ainda lhe aproximaria dos céus, pela sua gastronomia singular, pela dinâmica da equipe ou pelas extraordinárias técnicas do chefs Cyril Renaud e Dina Bonnet Não bastasse ele estar localizado no Mandarin Oriental, na cidade de Nova York, bem no centro da ação […]

LEIA MAIS
Image

Mandarin Barcelona

Sim, o nosso poetinha Mário Quintana sabia das coisas. “A verdadeira arte de viajar… A gente sempre deve sair à rua como quem foge de casa. Como se estivessem abertos diante de nós todos os caminhos do mundo. Não importa que os compromissos, as obrigações, estejam ali… Chegamos de muito longe, de alma aberta e […]

LEIA MAIS
Image

Os donos da festa

Eles são desejados, paparicados, ovacionados. Formam um grupo seleto, que trabalha para gente selecionada. Fazem as melhores festas do Estado, do Chá de Bebê ao Casamento, com criatividade, elegância, sofisticação, dedicação, honestidade, bom senso. Tudo na medida. Não é a toa [à toa] que os convites para as festas que eles realizam são disputados a […]

LEIA MAIS