Rodaika realiza sonhos na ponte aérea Miami – Porto Alegre

“Quero viver intensamente essa experiência da temporada fora do Brasil, seguir fazendo o que amo e perto de quem eu amo”, resume Rodaika sobre a nova fase

Imagem da campanha de lançamento de sua recente coleção para a Paquetá

Trabalho sempre foi sinônimo de prazer e realização para a entertainer Rodaika. Nascida em Porto Alegre, ainda criança mudou-se para São Leopoldo, onde passou a infância. Lá já brincava, com cinco anos de idade, de entrevistar criaturas fazendo uma escova de cabelo de microfone. Cresceu vendo tevê e logo o sonho era estar lá dentro daquela caixinha mágica. Realizou-o na RBS TV, de onde saiu neste ano, pronta para alçar novos voos: foi com o marido, o também comunicador Alexandre Fetter, e os filhos para Miami. “Quero viver intensamente essa experiência da temporada fora do Brasil, seguir fazendo o que amo e perto de quem eu amo”, resume ela sobre a nova fase. Crê estar o caminho certo. “Dizem que colhemos o que plantamos. Eu passei toda minha vida profissional na televisão plantando o profissionalismo, a dedicação, o bom humor, a paixão. Estou colhendo isso agora em forma de sonhos realizados. E ainda tenho alguns para realizar, então mãos à obra que ainda quero produzir muito nessa vida!” Nesta entrevista, Rodaika lembra da infância, da trajetória na profissão, fala da família e do futuro. A moça com a palavra!

Rodaika no Baile Beneficente das Voluntárias pela Vida, em Porto Alegre

Vou começar do começo, tá? Onde você nasceu, como foi tua infância e juventude?

Nasci em Porto Alegre, meus pais eram jovens, primeira filha. Ainda criança, mudamos para São Leopoldo, a família de meu pai é de lá. Foi onde cresci, junto com meu irmão Daian, que nasceu um ano depois de mim. Tivemos uma infância tranquila e feliz. Desde pequena sempre fui apaixonada por televisão. E essa paixão cresceu ainda mais na minha adolescência. Com 4, 5 anos de idade, minha brincadeira preferida era entrevistar as pessoas fazendo da escova de cabelo da minha mãe o meu microfone. Cresci assistindo televisão, era o grande entretenimento naquela época. E meu sonho era estar lá dentro daquele quadradinho em que tantas coisas mágicas aconteciam.

Já havia a vontade de ser jornalista, apresentadora?

Era muito ligada em jornalismo, mas tinha uma vontade de atuar, adorava música – muito influenciada pelo meu pai que é músico. Mas, claro, naquele tempo, sem internet e morando no RS, era muito difícil a possibilidade de trabalhar numa novela, por exemplo. Ou ser uma daquelas repórteres internacionais. A saída foi buscar alternativas mais próximas, em que eu também podia fazer uso desse meu lado comunicativo. Comecei a participar de concursos de beleza, virei uma apresentadora de eventos na minha cidade e fui até colunista social! Onde existisse a possibilidade de me comunicar, lá eu estava.

 

Como você foi para a RBS TV, como surgiu a oportunidade?

Quando chegou a hora da faculdade escolhi o curso que mais me aproximaria do universo da televisão, o jornalismo. Entrei superjovem no curso e alternava os estudos com o trabalho de modelo, que já fazia desde criança e naquela época a gente chamava de manequim. Como já era conhecida dos concursos de beleza, acumulei 16 títulos durante a adolescência, me chamavam muito pra desfilar. Mas essa ainda não era a profissão dos sonhos e eu ganhava bem pouco. Melhorou quando comecei a fazer campanhas para a TV. O cachê era maior, mas a minha alegria mesmo era ir até o prédio da RBSTV em Porto Alegre gravar nos estúdios da extinta RBS Vídeo, que era a principal  produtora de comerciais na época. Eu amava! A cada intervalinho corria até a porta de vidro da redação para observar o trabalho dos jornalistas – lembro muito das máquinas de escrever, o ambiente nervoso. Aquilo me fascinava! De lá entrava escondida no estúdio da TV e adorava assistir os programas indo ao ar. Era um sonho próximo e distante ao mesmo tempo. Quem diria que ainda no início do curso de jornalismo eu seria selecionada para um curso dentro da RBSTV e lá naquele estúdio faria tantos e tantos programas por 23 anos. Parece história de Cinderela, mas foi bem assim!

 

Como tu avalias os anos em que passou na telinha da RBS? Como foi teu desenvolvimento profissional e pessoal nesse período?

Eu tenho um amor gigante pela história que fiz dentro da empresa. Sou 100% RBSTV. Uma empresa é feita pelas pessoas que nela trabalham, dedicam seu esforço, sua energia. Tive os melhores colegas do mundo. Aprendi tudo que sei de comunicação lá dentro. Depois que fiz o curso de novos talentos fui selecionada para trabalhar em Pelotas. Lá me fui com mala, cuia e uma bebê de um ano no colo. Foram quase três anos de muito trabalho, vários perrengues, mas, acima de tudo, muito amor e companheirismo. Me tornei uma profissional reconhecida em Pelotas, fiz muitas entradas ao vivo nos programas da Globo para todo Brasil, fui feliz demais lá. De volta a Porto Alegre, tive a chance de participar de dezenas de projetos na RBSTV e na TVCOM, que eu vi nascer e onde atuei em muitos programas. E quando finalmente o entretenimento passou a fazer parte da grade de programação, me encontrei definitivamente dentro da comunicação. Me orgulho demais de todos os programas em que trabalhei como produtora, editora, repórter, apresentadora e diretora. É uma realização profissional que me emociona e me enche de gratidão.

Rodaika e Alexandre Fetter

Algumas pautas dessa época devem ter te marcado mais… Quais?

Essa pergunta é a mais difícil de responder. Imagina 23 anos trabalhando praticamente todos os dias! É fascinante a possibilidade de estar a cada dia num lugar diferente, contando uma nova história. E foram muitas que me tocaram profundamente. Coberturas difíceis de tragédias, grandes  perdas. Momentos felizes e emocionantes com histórias de conquistas, superação e amor. Tantos talentos, tantas inspirações. Tanta gente pra quem tivemos a honra de dar uma oportunidade de mostrar seu trabalho. No meio desta imensidão de histórias é realmente muito difícil escolher algumas.

Como se deu tua saída da RBSTV?

Eu vivi muitos desafios na minha carreira dentro da TV. Dificuldades, novos formatos, adaptação a novas tecnologias, criação de programas, produtos, eventos, transmissões ao vivo. Sabe quando o sonho se realiza? Já vinha desde a extinção do Patrola ensaiando minha saída, porque também não é fácil. A TV é minha segunda casa, fiz amigos pra sempre, a rotina é intensa, minha vida estava lá dentro. Então é importante assimilar e eu tive esse tempo. A decisão da saída foi minha e a empresa foi incrível em todo o processo. Quando surgiu o Mistura com Rodaika, sabíamos que era um projeto para pouco tempo, pois hoje na televisão tudo é muito rápido, a necessidade de inovar e mudar são constantes. Então, abracei o projeto de coração, tive uma equipe maravilhosa que tomou conta de tudo e me foquei apenas na apresentação e nas reportagens. Foi uma delícia! Chave de ouro para encerrar uma jornada perfeita. No final das contas, as coisas aconteceram naturalmente, sem grandes impactos. O Mistura antecipou o término de sua temporada para ceder espaço aos jogos de futebol da série B e a minha vontade de ter mais tempo pra mim e minha família pode ser finalmente realizada. Tivemos um lindo programa de despedida, segui no Grupo RBS com novos projetos e coloquei em prática, junto com meu marido e filhos, o sonho de passar uma temporada no exterior.

Rodaika e sua família

Tu segues fazendo trabalhos para a RBSTV ou para a rádio, à distância? O que tens feito profissionalmente agora?

Sigo no Grupo RBS trabalhando a distância. Porém, tenho me dividido bastante entre Orlando, onde moramos agora, e Porto Alegre, que é e sempre será nossa casa. Portanto, quando estou nos Estados Unidos, trabalho a distância, e, em Porto Alegre, adianto os trabalhos presenciais. Está dando certo e sendo muito prazeroso. Uma oportunidade única de aprendizado e, principalmente, de proporcionar aos meus filhos que estudem fora do Brasil e tenham acesso a outras culturas. Eu e meu marido estamos muito orgulhosos em poder proporcionar isso a eles, sabemos o quanto pode ser importante no futuro. Na verdade, os dois foram nossa maior motivação para esta experiência no exterior.

Como está a vida nos Estados Unidos? Como está o dia a dia de vocês, do casal, dos filhos? Muita saudade daqui?

Nossa rotina nos Estados Unidos é maravilhosa. Estamos nos dando o presente de uma vida cheia de aventuras e descobertas. Nossos filhos estudam e nós trabalhamos, ainda assim o lema é aproveitar todos os momentos restantes pra viver novas experiências. Adoramos descobrir lugares, visitar os parques – parece um sonho ser vizinha do Mickey!!! – ir a eventos, shows das nossas bandas favoritas, comer comidas diferentes. Aqui as coisas são mais viáveis e estamos aproveitando pra transformar essas vivências em conteúdo pro nosso trabalho e nossa vida. É uma experiência que todo mundo deveria viver. Nos organizamos muito pra isso. Foram três anos de muito trabalho e foco pra  chegarmos aqui. Valeu tudo!

Rodaika criança

Como você conheceu o Fetter e como se dá o relacionamento de vocês? Vocês já estão há um bom tempo juntos…

Estamos juntos há mais de 15 anos. Os dois trabalham com comunicação a vida toda. Aos 16 anos de idade eu já escutava ele no rádio e muito dancei ao som dele como DJ nas pistas. Sempre fui fã. Quando entrei pra RBS ele ainda estava lá. Nos conhecemos pessoalmente numa entrevista que fiz com ele em Pelotas para o Jornal do Almoço – ele não lembra disso e eu lembro de cada detalhe. Depois eu voltei pra Porto Alegre e ele foi fazer a Pop Rock na Ulbra. Segui sendo ouvinte e fã. Até que um dia uma amiga em comum nos aproximou. Foi meio que paixão à primeira ficada, sabe? Muito intenso, me apaixonei e fiquei apavorada com a rapidez das coisas. Mas aconteceu, naturalmente e como tinha que ser. Acabamos juntos na vida e no trabalho, ele de novo no Grupo RBS onde assumiu as rádios de entretenimento e criou o Pretinho Básico. Hoje somos grandes parceiros de vida e sonhos, além de marido e mulher. Brigamos, nos estressamos, somos intensos em tudo, mas nos amamos demais. Tenho certeza que fomos feitos um para o outro e isso dá uma tranquilidade enorme. Tão bom saber que posso contar com ele. É a vida que eu quero ter do lado da pessoa que escolhi.

E tua relação com teus filhos? Você teve filha cedo, agora tem um casal… Como você vê a maternidade? Mudou do primeiro filho para o segundo?

Fui mãe muito jovem mesmo e só tenho a agradecer por esta experiência ter começado  tão cedo na minha vida. Foi determinante para me transformar em quem eu sou. Pra eu correr atrás dos meus sonhos, ter uma carreira, um norte, uma busca. Ser mãe é uma dádiva de Deus. Agradeço todos os dias por ter este sentimento dentro de mim. Ele me move, me faz querer ser melhor. Quero tudo pra eles, faço tudo por eles. E aqui estamos vivendo tão intensamente a relação mãe e filhos. Posso estar mais perto deles e da rotina deles. Ver as transformações a cada dia, o crescimento. É lindo demais! Temos uma relação familiar muito bonita e saudável. A Brenda veio pra me ensinar a vida. O Théo chegou pra consolidar nosso amor. Nasceram em épocas diferentes da minha vida, mas se eu pudesse voltar atrás faria tudo exatamente igual. Os dois chegaram no melhor momento. E hoje somos quatro pessoas que se amam e se querem demais!

Há pouco você lançou uma linha pela Paquetá. Como se deu essa parceria, como foi o trabalho, deu para dar os teus palpites?

Não quis abrir mão de nenhuma participação no processo, pois essa é a parte que mais me encanta. Estar na fábrica, ver aquele número enorme de profissionais com a mão na massa, a alegria das pessoas no desenvolvimento dos produtos. Essa parceria com a Paquetá é minha grande alegria profissional do momento. Ter uma coleção assinada por mim era um sonho, já realizei de cara duplamente. Tô muito feliz! A Paquetá tem uma equipe maravilhosa, pessoas incríveis que já viraram amigos. Confiaram em mim e viram potencial, isso é muito gratificante. Tive o prazer de participar de todos os processos, tanto da linha fitness Donna Walk Run by Rodaika, que tem a Revista Donna como idealizadora do projeto, como na coleção de calçados Twin Set by Rodaika, que foi criada e desenvolvida a partir de uma pesquisa feita por mim e pela equipe da Paquetá. Fiquei apaixonada e só penso nas próximas. Pra fechar com chave de ouro, ainda vieram as campanhas, em que pude atuar e emprestar um pouco deste meu lado comunicativa e extrovertida que é como sou na vida real.

E moda é uma pauta da tua vida, certo?

Amo moda! Mais que isso, amo o que a moda pode fazer pelas pessoas. E não me refiro à tendência, ao último grito, ao “tem que ter”. Me refiro à libertação que é estarmos vestidas do jeito que nos sentimos bem. Moda é isso. Pode até não parecer, mas está presente na vida de todas as pessoas e, sim, pode ser transformadora. Esse assunto sempre me encantou. Na TV sempre foi pauta pra mim. Um prazer enorme descobrir novos talentos, desmistificar as questões, trazer pra vida, pro dia a dia do ser humano normal, o uso da moda como aliada. E aprendi muito com isso, inclusive a me vestir melhor – e quando falo melhor quero dizer melhor pra mim. Melhor pra me fazer sentir melhor. Dá pra entender? Esse é o pulo do gato na moda! E aí não precisa consumir horrores, não precisa ser refém de tendência e nem ficar buscando no outro o que vai ser legal em ti. Aí a moda vem com pequenos toques de estilo, diversão e aquelas “sacadinhas” que só quem tem autoconfiança consegue fazer sem se sentir um ET. O meu conselho é sempre esse: te olha no espelho, entende teu corpo, te faz feliz. Nada é mais moderno que isso!

Quais teus planos para o futuro imediato, pessoalmente e profissionalmente?

Quero viver intensamente essa experiência da temporada fora do Brasil. Seguir indo e voltando para cumprir meus compromissos profissionais e, no meio disso, estudar também. Eu e o Alexandre temos projetos juntos que em breve entrarão no ar. Também quero seguir investindo na criação de coleções com marcas que realmente me representem. Estou encantada com esta nova porta que está abrindo e quero entrar cheia de gás e amor. Não descarto voltar a trabalhar na televisão, mas esse não é um plano agora. Por enquanto quero apostar na internet pra seguir me comunicando com meu público – muita gente me pede pra ver mais da nossa rotina e vamos entregar isso para as pessoas, sim. Tá saindo do forno essa novidade também. Enfim, seguir fazendo o que amo e perto de quem eu amo é o que quero para meu futuro. Dizem que colhemos o que plantamos. Eu passei toda minha vida profissional na televisão plantando o profissionalismo, a dedicação, o bom humor, a paixão. Estou colhendo isso agora em forma de sonhos realizados. E ainda tenho alguns para realizar, então mãos à obra que ainda quero produzir muito nessa vida.

Por Andrea Lopes | Fotos divulgação

 



Tags relacionadas

Comente



Compartilhe!







POSTS RECENTES

Image

Carmen Ferrão personifica a máxima “paixão pelo que faz”

A Superintendente de uma das maiores redes do varejo nacional segue reinventando a empresa criada pelo pai, Lins Ferrão, agora com os pés fincados também na gestão online. Para ela, a maior certeza é aquela que bem do coração, da paixão  Carmen Ferrão não para. Com paixão, ela dirige, junto aos irmãos e primos, o […]

LEIA MAIS
Image

Dall’Agnol R. Júnior, uma questão de admiração

Ele é consagrado, assina projetos arrojados e inovadores, em seus mais de 25 anos de arquitetura e decoração já recebeu diversos prêmios, foi tantas vezes quanto inédito em Casa Cor – quem não lembra a Black Box, o Hammam, a Capela, o Acqua Theater e sua Dance House – só para citar o que rapidamente […]

LEIA MAIS
Image

Masculino e atemporal, em décor de Juseliane Arenhart

  O projeto da designer de interiores Juseliane Arenhart para o apartamento masculino privilegiou a integração, a sofisticação e a atemporalidade, em mostra de elegância ao quociente máximo “O lar carrega as memórias e as histórias do indivíduo, é a nossa extensão material, abriga nossa personalidade e nossos gostos mais particulares. Tudo aquilo que nos […]

LEIA MAIS