Bonito é bonito

O lugar é pródigo quando o assunto é natureza. A médica dermatologista Mercedes Rubim falou-nos tão bem de Bonito que não poderíamos nos furtar a tentar descobrir mais do porquê de sua opção pelo lugar. Sim, sabíamos que era conhecido como “paraíso das águas”, mas daí a ocupar-lhe por dez dias integrando um grupo da Brasil Viagens, algo mais deveria haver para lhe motivar a tão bem falar das imagens e dos momentos que trouxe na retina e na memória

2016-10-18-19-44-40-371

Mercedes Rubim

Bonito, no Mato Grosso do Sul, encanta pela limpidez das águas dos rios e quando o assunto é natureza, a riqueza e a preservação natural de suas centenas de cachoeiras, lagos, rios, mais de 80 cavernas, grutas, paredões rochosos, fauna e flora. Berço de três rios de águas cristalinas – Prata, Baía Bonita e Sucuri-, as atrações turísticas giram em torno das águas destes rios com corredeiras e cachoeiras em volta. Uma viagem pelas águas de pelo menos um destes sítios ecológicos é obrigatória para quem visita a região. Os passeios são feitos por meio de flutuação, com roupas de neoprene e snorkel, proporcionando ao visitante um contato direto com peixes como piraputangas, curimbatás, pacus e dourados –  e plantas e uma visão deslumbrante da paisagem que existe no fundo dos rios. Aliás, a fama de Bonito é especialmente creditada aos rios cristalinos e um dos mais concorridos pelos turistas é o rio Sucuri, assim batizado por ali ser justamente morada de serpentes.

OLYMPUS DIGITAL CAMERAHá quase 20 anos foi criado um sistema de controle do número de visitantes em cada um dos 40 passeios em Bonito.  O rigoroso controle faz com que agências reservem os pacotes de verão com mais de um ano de antecedência.  No rio Olho D’água, por exemplo, o limite máximo de visitantes por dia é de 150 pessoas e há lista de espera para a rica experiência de flutuar na água transparente, lado a lado com cardumes multicores. A cidade de pouco mais de 20 mil habitantes investe para atender à demanda por simplesmente contemplar a natureza ou por mergulho, rapel, cavalgadas, motocross, rafting, caminhadas ecológicas, cachoeiras e gastronomia regional. E cada passeio reserva uma surpresa e tem beleza e característica própria. Em sua grande maioria, hotéis e pontos turísticos tem excelente infra-estrutura e estão dentro de fazendas. Algumas desenvolvem apenas a atividade turística, outras procuram harmonizar a pecuária com o ecoturismo.

Abismo (40)

De todos os lugares, Mercedes destaca o Lago Azul, que detém fascínio ímpar. A cor azul, que reflete mais intensamente quando a luz incide sobre o lago, é ilusão de ótica, gerada pela alta concentração de calcário na água, mas empresta magia inigualável. Cavernas como a Gruta do Lago Azul, com seu interior repleto de estalactites e estalagmites formadas há 2 milhões de anos, são fascinantes.O passeio de bote pelo rio Formoso, que está em quase todos os roteiros, com suas pequenas cachoeiras e quedas d‘água proporcionando um rafting leve e que pode ser feito até por crianças ou pessoas de mais idade. É diversão certa!

Atrações turísticas

Abismo Anhumas
Uma abertura no chão com profundidade de 72 m por onde se desde em rapel chegando-se a um lago de água cristalina do tamanho de um campo de futebol. No lago é possível praticar mergulho livre ou autônomo. Na parte seca pode-se ver espeleotemas de várias formas – verdadeiras esculturas produzidas pela natureza.

Gruta do Lago Azul

Após uma descida de 100 m o visitante chega a um lago de águas azuis. O teto e o piso da gruta são repletos de espeleotemas de várias formas. “É maravilhoso”, complementa Mercedes Rubim.

Parque Ecológico Baía Bonita – Aquário
Aqui, Mercedes mergulhou.  Dentro de um enorme aquário, é assim que o turista se sente ao percorrer os 900 m das águas cristalinas da Baía Bonita. Antes de chegar ao encontro de três rios, percorre-se uma trilha no meio da mata onde se pode ver várias espécies de árvores nativas. No final da trilha, pode-se brincar em uma cama elástica dentro do rio e deslizar suspenso por um sistema de carretilha fazendo um mergulho no rio. É imperdível, conforme ela.

Recanto Ecológico Rio da Prata
Antes de se chegar à nascente do rio da Prata o o visitante faz cerca de uma hora de caminhada em uma trilha aberta na mata. No meio do caminho são frequentes os encontros com macacos, porcos do mato, mutuns (pássaro da região), além de se ter a oportunidade de observar vários tipos de árvores como a aroeira, o jatobá-mirim e o bacuri.

A partir da nascente começa a descida do rio pela superfície, fazendo-se flutuação com roupas de neoprene e snorkel, que permite a observação da fauna e da flora subaquáticas. Dourados, pacus, pintados, piraputangas, cacharas e mato-grossos são alguns dos peixes que aparecem em grande quantidade ao longo do percurso. A água, brotando do fundo do rio como se fosse um pequeno vulcão, é um espetáculo à parte que pode ser observado durante o percurso. No final do passeio, um bufê com comida típica de fazenda aguarda o visitante na sede do parque.

Rio Sucuri
Apesar do nome, o rio Sucuri não apresenta qualquer perigo. São 2 km de descida em uma leve correnteza onde se pode fazer flutuação com snorkel para observar a fauna e a flora subaquática. O Sucuri é um dos rios mais cristalinos da região.

BONITO MS (24)

Passeio de bote pelo Rio Formoso

Passeio de Bote pelo Rio Formoso
Percurso de 8 km feito em balsas de borracha infláveis até a Ilha do Padre, passando por três cachoeiras e uma corredeira. Durante o passeio pode-se ver vários pássaros da região. O rafting leve pode ser feito até por crianças e idosos.

Ilha do Padre
As inúmeras cachoeiras e piscinas naturais no meio do rio Formoso são as atrações da Ilha do Padre, no Parque das Cachoeiras. A infra-estrutura é simples, com lugar para fazer camping com banheiros, chuveiros, churrasqueiras, piscina para crianças e quadra de vôlei de areia.

Boca da Onça
Passeio ideal para quem quer fazer caminhada no meio da mata. São 4,5 km de caminhada passando por 12 cachoeiras, inclusive pela maior do Estado, com altura de 156 m. Após o passeio, em frente ao receptivo com bar e restaurante há duas piscinas com água corrente onde se pode nadar ao lado de dourados, piraputangas e cacharas.

Balneário do Sol
Fica às margens do rio Formoso. Nadar entre piraputangas, dourados e corimbas e tomar banho de cachoeiras são os atrativos deste balneário. Uma carretilha com a qual se pode deslizar por uma corda até cair no rio, uma quadra de vôlei, um campo de futebol e a observação de aves e macacos completam o passeio.

Aves (3)Buraco das Araras
Uma dolina (depressão rochosa) com um abismo de 126 m, o Buraco das Araras, é um exemplo de exuberância da beleza natural de Bonito. A partir de dois mirantes pode-se ver o vôo de casais de araras que habitam o local.

Trilha Boiadeira

Há o passeio diurno e noturno. Quando Mercedes solicitou, só havia vaga para o noturno. O guia que a acompanhou gentilmente pediu se ela não gostaria de acompanhá-lo como caroneira. “Claro que não, tenho ‘alguma experiência’ em 4X4 e quadriciclo e vou adorar um pouco de aventura.” Ela não vê a hora de voltar para o bis!

Grutas de São Miguel

A gruta não é tão bonita, mas o lugar é muito lindo e as formações rochosas são diferenciadas, conforme Mercedes. Uma emocionante trilha de 180 metros sobre a mata é percorrida.

Anote aí!

Mercedes comenta que a melhor época para visitar Bonito é de setembro até o início de novembro, porque em seguida vem a época das chuvas, quando a água fica mais turva. No inverno, a água é mais fria e mergulhos e passeios de bote ficam prejudicados.

Essa maratona de exercícios diários consome energia, e a fome, quando chega, vem com uma intensidade assustadora. Relaxe: na volta às sedes das fazendas, que abrigam esses santuários, há sempre uma comida feita em fogão de lenha à espera. O cheiro parece nos conduzir, conforme a trilha avança. Aliás, a trilha das cachoeiras é muito recomendada por Mercedes e a Estância Mimosa está logo ali. A mesa farta vem com frango assado, carne ao molho pantaneiro, caldo da piranha para quem tiver coragem (lá com a alcunha de Viagra do Pantanal) e… farofa com torresmo. Hummm! A grande maioria dos passeios, em sendo feita pela manhã, pode incluir almoço.

fazendasãofrancisco

Fazenda São Francisco

caldodepiranha

Caldo de Piranha

Outra dica segura de Mercedes, chegue no aeroporto de Campo Grande e siga direto para a Fazenda São Francisco, em Miranda, onde já é possível fazer a focagem noturna, seguindo em caminhão aberto (leve um agasalho, pois à noite cai a temperatura). Vale a pena dormir em Miranda, pois em Bonito não se veem tantos animais – capivara, lobo guará, tamanduá, jacaré, tuiuiús… como aqui. Há hotel e jantar na própria fazenda e o doce de leite de búfalo é boa nova para a sobremesa.

jacarédonamaria

Os jacarés de Dona Maria

A 30 quilômetros de Miranda está a oportunidade de ficar bem pertinho e até mesmo encostar em jacarés. Acompanhe a Dona Maria, que irá chamá-los para você com o seu berrante! Fica bem pertinho da estrada, aliás, as estradas são muito boas por lá, conforme Mercedes, o que é muito bom saber para quem quer chegar no aeroporto e locar um 4X4.

 

Um prato para não recusar? Jacaré com pimentões ao molho de urucum, com creme de leite e leite de coco, é uma delícia!

Taboa Bar, excelente pedida para uma música ao vivo e para se experimentar a famosa cachaça Taboa.

Sim, Mercedes já programa seu retorno ao paraíso, quer fazer o quadriciclo, a flutuação e mais mergulho!

 

 



Tags relacionadas

Comente



Compartilhe!







POSTS RECENTES

Image

Grécia para arquitetos

Dona de um dos roteiros turísticos mais cobiçados do mundo, a Grécia é mesmo fascinante. Também pudera: este país tem atributos de sobra. Reúne cultura, história, belezas naturais, lugares badalados e hotéis de luxo. Para um grupo de arquitetos gaúchos, que desembarcou em Atenas no final de abril para um tour de dez dias, tudo […]

LEIA MAIS
Image

Do terno e gravata à raia, aos 93 anos

Primeiro lugar no ranking mundial, mais de 100 medalhas de ouro conquistadas, treinamentos diários e vida profissional bem-sucedida. Anton Karl Biedermann, nadador máster do União, que presidiu a Federasul e até agora é uma voz lúcida e valorizada no  meio empresarial e em debates sobre o futuro do RS,  quebra paradigmas e se consagra com […]

LEIA MAIS
Image

Beatriz Dreher Giovannini, a Dama do Vinho

‘A palavra adega não é feminina por um acaso’ Seja durante a vindima colhendo uvas, atrás do balcão auxiliando na venda de espumantes, no receptivo dos hóspedes da pousada, ou realizando degustações com os turistas, lá está a presença de Beatriz Dreher Giovannini, fundadora da vinícola Don Giovanni. Se existe uma Dama do Vinho, este alguém […]

LEIA MAIS